quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Negativo


Um dia perdi a hora
e da hora, a vez na fila
e da fila, foi-se o trem,
sem trem não houve chá,
o chá das três e trinta
e nem cigarro nem isqueiro
perdi a fumaça do cinzeiro,
e sem chá e sem fumaça
perdi a idéia na cachaça,
sem idéia aquela carta
já não foi pra namorada.
Sem idéia e da cachaça
aos braços da devassa
amanheci sem meu juízo
traí a namorada
e quase perdi o pinto.
Me perdi do meu amor
e o sorriso do meu filho
a proza com o avô
e a atenção no meu trabalho
o dedão no maquinário
a razão em um repente
a briga pra um otário
na briga perdi um dente
e não virei presidente,
e sem dente e sem trabalho
perdi anos sentado
num vaso sanitário
no meio do escritório
escrevendo relatórios.
Perdi o suor da vida,
o desejo de conquista,
o emprego e a esmola,
o segredo do meu cofre
e o dinheiro junto,
me tornando vagabundo
perdi a sorte que não encontrei
andando pelo mundo
perdi demais no carteado.
Então sem nada fui à igreja
e me perdi no sermão
da escolha perdi a certeza
e no meio da multidão
acabei me perdendo da morte
e o epitáfio da minha lápide.
Perdi a chance do sossego
e nas mãos do desapego
vago louco, desgarrado
pois cada ano que passei
cada dia que eu guardei
eu perdi sem ter ganhado


Foto: ♥ Jing ♥

6 comentários:

  1. Quanta vida nas mãos do tempo!!!

    Mas vamos, admita, algo foi ganho, não foi???

    "Qualquer coisa que se sinta! Em tantos sentimentos deve ter algum que sirva"

    Adorei o poema, essa leitura rápida, a rima franca...

    Ri horrores com teu comentário lá no blog!
    rsrsrs
    Não fui eu! Juro! Eu queria acreditar diferente. Mas com muita propriedade, ele me disse:
    NÃO HÁ FÓRMULA!!!

    Sinto decepcionar... hahaha

    Beijos, querido!

    Moni

    ResponderExcluir
  2. Giu: fica picolé, não tem nada a ver comigo! Esse é lírico mesmo.

    Viajante: é quase isso! Um pouquinho mais vc acerta em cheio!

    Moni: é quase isso também, e sim, algo foi ganho, só que o personagem não entendeu! E quanto à fórmula, eu sei que é a mais pura verdade, mas eu me odeio ao ser irracional. Sou irracionalmente bobo! Por isso a necessidade de fórmula: a necessidade de parecer menos bobo.

    Enfim, adorei as visitas!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Olá Edu!
    Não sei se você é adepto de selos, mas eu tenho um para você lá no Viaje na Janela e com um desafio de responder: "Entre partidas e chegadas: o que faz você feliz".
    Fica a disposição para você retirá-lo caso queira!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Edu...pauta aceita...
    Dê-me só um tempinho, ok?

    Obrigada pelo convite!
    Beijos,

    Moni

    ResponderExcluir