terça-feira, 8 de junho de 2010

Transitivo do impacto da paixão à primeira vista

dias que o transito instintivo
em um não-piscar fica assim: definitivo.

Num momento o alternar entre o escuro, 
e claro demais... noutro o inferno o céu, inseguro.

Esparramado escorre mais um corpo no degrau,
dor e lamúria de um desastre nacional.

Um, dois, três passantes
logo logo sirenes incessantes.

Mas sei que passaram mais, e esse não vi,
último em memória e primeiro suspiro na UTI

Não há um dia sem ser atormentado
por haver sido atropelado.

Porque vi você, que não sorriu.
E o vidro do meu coração então se partiu.

3 comentários:

  1. Que coisa bonitinha de se dizer...coração partido...gostei disso.
    Um abraço,

    ResponderExcluir
  2. É bonitinho mas é grave! Coitado do sujeito!! Mas valeu por ter lido! Fico feliz mesmo!

    Só um detalhe: há mto mais por trás desse poema! Não é uma crítica ao seu comentário, é uma auto-crítica. Ainda não estou conseguindo passar exatamente o que eu quero pelos poemas que tenho escrito. Tudo bem, poemas são textos bem abertos, mas acho que tem ficado tudo muuuito subliminar. Espero que com o tempo eu consiga ser mais direto e vocês consigam ler e sentir o poema!

    Abraço nada! Bejo!

    ResponderExcluir
  3. Gostei deste poema. Não te conheço, nem sei ao certo como vim parar neste blog (Jesus, realmente não não me lembro!), mas gostei de alguns de seus escritos.

    Este em especial, eu tomei emprestado. Citei a fonte, claro.

    Gostei do nome de seu blog também. Penso que foi o que me fez ler, para começo de conversa.

    Bem, com relação ao que se quer dizer com um poema, sim, poemas são abertos. Muito mais que uma prosa. No entanto não achei somente "bonitinho". Também não estou criticando o comentário dA Viajante, mas na verdade esta seria uma das últimas palavras em que eu pensaria. Pesar, tristeza... um sentimento que não sei nomear (aquele que vem escondido num suspiro mais profundo e num olhar perdido). Estas viriam primeiro.

    Talvez seja identificação, talvez seja só um olhar diferente. Nunca saberemos.

    Bem, é isso. Você está indo bem, segundo o crivo de uma ilustre desconhecida que nem entende tanto assim de poesia.
    Ok, eu sei que não vale tanto... rs

    Abraço.

    ResponderExcluir