segunda-feira, 17 de maio de 2010

Desistência

Desafio-te a acreditar
Que não há amor aqui
Que os cacos de vidro espalhados
Não arrancam sangue do seu coração
Pois cada pedaço daqui
Foi concebido sob o seu olhar
Foi cultivado sob minha pele
 
Ainda que silencies tua voz
E torne tuas feições impávidas
Sei que tu sentes dor
Sei que pesa teu estômago
Então aceite finalmente
O amor que tenho a te entregar
Não o critiques nem o rejeites
 
Vem e vive e abre-te
Desfrute de meu sangue que derramaste
Mas aprenda que hoje nos ferimos
Apenas porque tu não acreditaste

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Desiste não, Edu...amar é bom demais, e melhor que apaixonar-se!

    ResponderExcluir